Meditações
 
Exame de consciência
 
Leia os outros artigos
 

INTRODUÇÃO

Precisamente por sermos pecadores, cegamos perante os nossos pecados.
Satanás quer-nos fazer ver que não há mal naquilo que fazemos.
Então o coração endurece, torna-se insensível às exigências do amor.
Por isso é tão importante a conversão do coração.

"Por isso, como diz o Espírito Santo:"Se hoje ouvirdes a minha voz, não endureçais os vossos corações…" Atenção irmãos! Que nenhum de vós tenha um coração mau e incrédulo…" (Hb3)

Deus é um Pai amoroso que nos faz ver o pecado para nos dar a graça do arrependimento e perdoar-nos. Ele quer-nos livres. O demônio não quer que vejamos o nosso pecado. E se buscamos os caminhos de Deus, tratará de nos acusar com os nossos pecados para que desanimemos e voltemos para trás.

Podemos discernir então a diferença. Deus mostra-nos o pecado para libertar e perdoar. O demônio esconde-o e quando o mostra é para que desesperemos. Devemos afastar com toda a energia estes pensamentos e ir à confissão com toda a confiança no perdão de Deus.
Deus perdoa SEMPRE quando há arrependimento.

É muito proveitoso fazermos um exame de consciência diário e também, com toda a humildade, abrirmo-nos a pessoas próximas para que nos corrijam.
"Se nos examinarmos a nós mesmos, não seremos condenados" (1Cor 11,31)

O exame faz-se perante Deus, escutando a sua voz na consciência.

PREPARAÇÃO PARA A CONFISSÃO

Preparação remota.
Educamo-nos na fé, através do estudo da Palavra, do Catecismo, da leitura da vida dos santos, participação em ensinamentos.
A prática seria daquilo que aprendemos.
Deve ser feito um exame diário da consciência.

Preparação imediata.
Deve ser feito um exame de consciência antes de nos confessarmos. Retiramo-nos para um lugar tranqüilo para rezar, de preferência junto ao Sacrário. Só Deus pode-nos iluminar sobre a nossa realidade e dar-nos os meios para respondermos à graça.

Contemplamos a vida de Jesus e o seu amor manifestado na Sua Cruz.
"Contemplaram O que trespassaram" (Jo 19,37)
Como tenho respondido a tanto amor, a tantas graças?
Examinamos a nossa vida perante a lei de Deus. Para isso é útil termos um modelo escrito que nos ajude a recordar o que esquecemos.
Recordamos que não se trata de sugestões, Deus deu-nos MANDAMENTOS.
Rompê-los é romper a nossa aliança com Deus e cair em pecado.

Não se trata só de enumerar pecados, mas também de descobrir a atitude distorcida do coração e com DOR PELOS NOSSOS PECADOS, FAZER O FIRME PROPÓSITO DE NÃO TORNAR A PRATICÁ-LOS.
Há sempre áreas em que somos mais débeis e que requerem atenção especial, mas se compreendermos que Cristo - e não a cultura - é a medida, veremos que em tudo temos muito que crescer.

A confissão só pode fazer-se perante a presença de um sacerdote.

EXAME DE CONSCIÊNCIA

Este exame é para aqueles que, amando a Cristo, não se conformam só em evitar pecados graves, mas que desejam amá-Lo com todo o coração.

1º Mandamento: amarás a Deus sobre todas as coisas.
2º Mandamento: não invocarás o nome de Deus em vão.

Amei a Deus acima de tudo?
A quem ou a quê dei mais atenção?
Fiz da minha família, trabalho, apostolados, programas, idéias e outras coisas boas, o meu primeiro amor?
Sei, na prática, o que é confiar no amor e no poder de Deus?
Confio tudo a Deus ou quero fazer tudo sozinho?
Confio em Deus quando tudo parece correr mal?
Caí em superstição ou noutra prática religiosa afastada do cristianismo?

ORAÇÃO DIÁRIA.
Como tem sido diariamente o meu tempo pessoal com Deus?
Rezo a liturgia das horas, faço oração familiar?
Louvei a Deus? Dei-lhe graças? Ou queixo-me freqüentemente?
Intercedo pela minha família, grupo, Igreja, pelo mundo?
Rezei com o coração, aberto ao Espírito Santo?
Ocupo tempo no discernimento?
Sei o que é esperar o Senhor, escutá-Lo? Faço isso?
Quando assisto a algum ensinamento guardo-o no meu coração e procuro aprofundá-lo?
Incluo a minha esposa/o ou outra pessoa, com formação e prudente, no meu discernimento, ou só os informo?
Escuto, obedeço e respeito os que têm legítima autoridade sobre mim?
Que critérios tenho para determinar se algo que quero fazer é do Espírito Santo ou é meu? Parece-me importante ter e seguir sempre esses critérios?
Uso os dons que Deus me deu para a Sua Glória?
Estou disposto a receber novos dons, segundo a vontade de Deus?
Fui legalista, fazendo só o necessário para cumprir, ou vivo a minha fé no Espírito entregando-me com todo o coração?

OBEDIÊNCIA.
Procuro conhecer, através da oração, à vontade de Deus para a minha vida?
Obedeço ao ensino do magistério ou interpreto à minha maneira?
O que é que motiva a minha vida? À vontade de Deus ou os meus próprios planos, a minha vontade?
Permito a Deus que me guie, ou entrego-lhe os planos já elaborados, para que os abençoe?
Os meus gostos, critérios, dúvidas, confusões, pensamentos, atitudes e valores - em que instâncias não estiveram sob o Senhorio de Deus

ESTUDO.
Estudo a minha fé católica? (Bíblia, magistério, livros consistentes) ou contento-me com o meu próprio modo de entender Deus?
Estou avançando na minha formação, como devo?
Que passos práticos dou para me formar na fé?

ORDEM E PRIORIDADES.
O meu tempo responde às prioridades de Deus, ou às pressões de qualquer pessoa ou ocasião, para "ficar bem"?
Interpreto o que ganho na perspectiva da vida eterna?
Reflito sobre a minha morte, sobre o juízo final?
Tenho prioridades claras e sou firme para vivê-las? Perco o tempo em leituras, programas etc. que não edificam?
Tenho um horário e organizo o dia com disciplina, dando tempo a cada área com sabedoria: oração, família, trabalho? Onde me desordenei? Fico fazendo algo de que gosto, sabendo que está na hora de fazer outra coisa?
Respeito o tempo e as necessidades dos outros: quando peço ajuda, ao telefone, etc.
Cuido da saúde: tenho algum vício, falta de exercício, descanso, alimentação… Cuido-me em demasia?

3º mandamento: santificarás o dia do Senhor.
Guardo o dia do Senhor para o Senhor ou trabalho desnecessariamente nesse dia?
Vou à missa todos os domingos? Adorei e pus todo o meu coração no Cristo Eucarístico que me espera no Sacrário?
Amei-O e consolei-O por tanto que é ofendido?
Vou à missa diária, se posso? Recebi o Senhor com preparação?

A CRUZ.
Meditei ante a Cruz? Busco o seu poder transformador e a sua sabedoria? Como se manifesta na minha vida?
Peço a Deus a graça de amar a Cruz?
Evito a Cruz, saindo da vontade de Deus?
Uno a minha cruz à de Cristo?: problemas, doenças, responsabilidades, pessoas, a idade, a minha vocação…
Busco a satisfação de todas as minhas necessidades físicas e emocionais ou mortifico-me por amor a Jesus?
Uno-me à cruz do que sofre? Sacrifico-me para amar?

CONFISSÃO.
Recuso o pecado, ainda que este seja aceitável segundo a cultura? Pensei ou atuei levianamente, como se a atitude reta dos santos fosse um exagero?
Evitei a ocasião de pecado: ambientes, programas, amizades más…?
Procuro que Deus me mostre o meu pecado, e também pecados velhos ou esquecidos?
Reconheço e reparo com responsabilidade os meus pecados e faltas, ou justifico-me?
Quando me corrigem, agradeço?
Quando me confessei pela última vez? Minimizei o pecado por receio? Houve mudanças? Fiz uma confissão completa ou escondi algo?
Há alguma coisa (hábito, ferida, complexo) que o inimigo usa para o seu proveito? Que faço para permitir a Deus que me liberte?
Deve reconciliar-me com alguém e ainda não o fiz?

MARIA
Consagrei-me a Ela, e, se o fiz, vivo a minha consagração plenamente? Como?
Aceito o seu cuidado maternal? Deixo-me formar por ela? Como?
Recorro a Ela em oração, medito a sua vida?

RELAÇÕES COM OS OUTROS
As minhas relações estão todas à luz do Senhor?: amorosas, castas, sadias e sinceras?
Tenho ódios ou inimizades?
Tenho lutas, rivalidades, violências, ambições, discórdias, sectarismos, desentendimentos, inveja, embriaguez?
Fui fiel aos compromissos com os meus irmãos e com os outros? Estou a crescer nestes compromissos?
Sou fiel no lar, grupo, trabalho? Cumpro as minhas promessas, compromissos, guardo confidência?
Busco a unidade no Senhor?
Sou prestável?
Sou atento sem ser curioso?
Sou prudente com o que digo e faço?
Sou agradecido pelo serviço de rotina que recebo?

NO LAR
4º mandamento:
honrarás o teu pai e a tua mãe.
Obedeço, cuido e honro os meus pais segundo a minha idade e as suas necessidades?
Ponho má cara?
Dou tempo à família? Refeições juntos? Diversões?
Hospitalidade? Relação com os irmãos? Responsabilidade nos estudos?
Ajuda econômica no lar, segundo as necessidades?

CASADOS (Além do já mencionado)
Protejo a minha casa e os meus das más influências do ambiente? Como?
Manipulei com os meus estados de ânimo e zangas, para que se faça o que quero?
Permito que outros, pais, amigos, manipulem ou se anteponham ao matrimonio?
Honro e respeito a minha esposa/o em todo o momento?
Partilhei com a minha esposa/o a visão para a família? Escuto-o com interesse?
Expresso amor e carinho à minha esposa/o? E com os filhos?
Detecto os problemas e enfrento-os com sabedoria?
Que medidas tomo para que a minha casa seja um lar?
Sou responsável e ordenado com a economia? Ajudo-os para que possam orar, estudar, descansar, ir ao seu grupo, cumprir as suas responsabilidades?
Formação dos filhos: partilho com eles, ensino e guio? Escuto? Disciplino com sabedoria? Dou-lhes boa educação para serem bons cristãos?

5º mandamento: não matarás.
De algum modo matei ou atentei contra a vida? (apoio ou participação em aborto, suicídio, conduzir sem cuidado, atos irresponsáveis que põem uma vida em perigo, agressão, violência…).
Atentei contra a dignidade de alguém?

6º mandamento: não cometerás atos impuros (adultério, fornicação)
Busquei afetividade fora da ordem do Senhor?
Como distingo entre sentimentalismo e uma autêntica relação de amor entre irmãos? Relaciono-me segundo o meu estado de ânimo ou segundo o que edifica no amor?
Fantasias ou atos impuros comigo mesmo ou com outros?
Asneiras, programas, atitudes sedutoras ou imodéstia no vestir?
Obedeço ao plano de Deus para a sexualidade no meu estado de vida?

7º mandamento: não roubarás.
Roubei de algum modo? Descuidando ou não devolvendo propriedade alheia ou comum? Aproveito-me do meu cargo para benefício pessoal?

8º mandamento: não levantarás falsos testemunhos nem mentirás.
Quem inspira as minhas palavras? Deus ou o meu ego? Quis dar a minha opinião em tudo?
Digo a verdade? Revelei segredos? Julguei ou praguejei?
Queixei-me, buscando comiseração ou pena? Pus a minha atenção onde não devia?
Disse o que não edifica? Asneiras e grosserias, repúdio a uma raça, nacionalidade?

OBRAS DE MISERICÓRDIA
CORPORAIS: solidariedade com os doentes, esfomeados, sedentos, presos, nus, forasteiros, enterrar os mortos? Vejo-os como irmãos a que me entrego, ou como estatísticas?
ESPIRITUAIS: dar bom conselho, corrigir, perdoar, (guardo algum ressentimento?), consolar, sofrer com paciência as doenças do próximo, rezar pelos vivos e pelos mortos.
Estou atento à dor do outro? Faço acepção de pessoas segundo a sua aparência?
Vivo com sensibilidade? Imito Cristo que foi pobre?Sou livre dos apegos materiais? Isto se Reflete nas minhas atitudes nas compras? Deixo-me levar pelos anúncios? Coopero com as obras da Igreja com verdadeiro sacrifício e amor e dou as minhas sobras?

EVANGELIZAÇÃO
Sou testemunha? Sou sal da terra e luz do mundo?
Esforço-me com todo o coração para que Cristo seja conhecido e amado por todos?
Estou em comunhão com o espírito missionário da Igreja?
Levo as minhas amizades ao Senhor, ou deixo que elas me arrastem para o mundo?
Quando evangelizo faço-o com segurança, ou como se fosse uma opinião qualquer?
Respondo ao Espírito ou paralisa-me o "o que dirão"?

DOMINIO DAS EMOÇÕES
Ressentimentos, caprichos, impulsos, medos.
Quais são as minhas emoções mais notórias? Submeto-as ao Senhor para as orientar para o bem? De que forma estão afetando o meu comportamento?
Busco primeiro o meu interesse ou comodidade ou sirvo com amor?

PECADOS CAPITAIS E VIRTUDES CONTRÁRIAS

SOBERBA/HUMILDADE

Fui humilde ao pensar, comparei-me com outros, tentei chamar a atenção com a minha sabedoria, o meu físico etc? Reconheço-me pequenino? Desprezo os outros no meu coração?
Ressenti-me pelo trato ou cargo recebido? Qual é a motivação das minhas aspirações?
Distingo entre o que é doutrina e o que é a minha opinião?
Sou prudente ao dar a minha opinião? Acho que é a única, acho que sem a minha presença as coisas não vão bem?
Sei distinguir qual é a minha missão ou intrometo-me no que não me diz respeito?
Reconheço que não tenho razão para gloriar-me senão em Cristo? De que forma os meus atos estão disfarçados com orgulho, vaidade, egoísmo?
Reconheço os meus erros e peço perdão?
Posso ajudar sem mandar?

AVAREZA/GENEROSIDADE

Estou apegado às coisas? Sacrifico tempo e dinheiro para servir segundo o plano de Deus?
Jogo com o dinheiro?

LUXÚRIA/CASTIDADE (examinado atrás)

IRA/PACIÊNCIA
Sei lidar com as cruzes, doenças, problemas com relações, trabalho, etc?
Perco a paz, manifesto mau humor quando as coisas não correm como espero?
Culpei as circunstâncias?

GULA/TEMPERANÇA
Como mais do que o necessário? Faço jejum?
Estou viciado em drogas, álcool, tabaco, medicamentos?

INVEJA/CARIDADE
Sinto inveja por posições, talentos, outros grupos da Igreja? Ou alegro-me quando os outros melhoram? Em que casos acontece que não me alegre?

PREGUIÇA/DILIGÊNCIA
Adormeci, como os discípulos, perante aquilo que Jesus me pedia?
Sou atento em cumprir os meus deveres?
Que faço para edificar a minha família e o meu grupo?
Sou rápido em servir, mesmo que não tenha vontade?
Descanso mais do que o necessário?
Deixo as coisas para mais tarde?

BEM AVENTURANÇAS
Fui pobre de espírito, livre de apegos?
Fui manso, paciente, edificando com meios santos?
Chorei perante os pecados que ofendem a Deus?
Tive fome e sede de justiça?
Fui misericordioso?
Fui limpo de coração, puro de pensamento?
Trabalho para a paz, em mim, no lar, no grupo, no mundo?
Sofro com alegria ao ser perseguido por causa da justiça? Como reajo perante as críticas "injustas" ou incompreensões?



 
 
xm732