Missa com crianças
 

17º Domingo do tempo comum: Jo 6,1-15
Missa elaborada por: Solange do Nascimento
Solange Nascimento – é autora da Missa com as Crianças e co-autora dos livros Jesus e as crianças. Sua formação acadêmica perfaz Pedagogia, letras , direito , MBA em gestão Institucional . Pós graduada em metodologia e doutoranda em Ciências jurídicas.

 
Você gosta da Missa com crianças?

Então compartilhe no FACEBOOK a missa dessa semana, clique no botão abaixo:

Obs.: Quando atualizamos a missa, você pode compartilhar novamente para que seus amigos também acompanhe a missa atualizada. Deus vos abençoe !
Compartilhe essa missa das crianças no facebook, para isto basta clicar no icone do FACEBOOK ou outro programa que você desejar compartilhar com seus amigos. Ajude-nos a levar a Palavra de Deus a todos.
Você tem muitos amigos e envia e-mails para todos? Então você pode enviar essa reflexão para todos de uma única vez, basta copiar a url abaixo e colar em seu e-mail.
Para enviar manualmente, copie CTRL C o código acima e cole CTRL V no mural ou mensagens de e-mails dos seus amigos:
 
Multiplicação dos pães

Acolhida – Boa noite, crianças. Boa noite a todos.
(Falar o mais espontâneo possível, escolher 8 crianças e, à medida, que for falando ir colocando uma ao lado da outra, elas devem estar escondidas atrás da mesa do padre).
Crianças, vocês sabiam que eu sei fazer mágica? É eu sei multiplicar.
Vejam só, aqui em minhas mãos. O que eu tenho? Ah, tenho o desenho de uma criança. Então eu quero ver se vocês são bons nas continhas , está bem?
Se eu tenho uma criança e quero aumentar esse número para vir à missa, o que eu devo fazer? Devo chamar mais uma não é? (Sai uma criança detrás da mesa) Então vejam só, eu dobrarei o número de crianças. Eu tinha uma, agora tenho duas.
Mas se eu quiser multiplicar ainda mais o número de pessoas para conhecer Jesus o que eu devo fazer?
Como é que a gente multiplica? A gente dobra esse número, não é? Então duas vezes dois, eu tenho 4 novos guerreiros para Jesus. (assim vão saindo às crianças)
Mas imaginem que esse número é pequeno e que eu possa aumentá-lo ainda mais. O que eu tenho que fazer?
Eu tenho que multiplicar, quer dizer, aumentar ainda mais os fiéis para que todos possam conhecer a Jesus, vir à missa, ouvir todos os ensinamentos que Deus tem para nos mostrar e aprender a multiplicar suas graças em nossa vida. Agora multiplico 4 vezes 2 e eu tenho oito crianças no total, não é mesmo? Esse negócio de multiplicar é bom porque faz render muito.
Agora eu tenho um desafio pra vocês. Eu tenho aqui um pão e gostaria que cada um pudesse ganhar desse pão aqui na igreja hoje. Como é que eu posso fazer para que todas ganhem esse pão?
Ah!! Então eu tenho que dividir esse pão em pedaços e dar a elas pequenas porções dele. Repartir o pão, subtrair pedaços do pão e dar a cada uma, essa é a operação?
Viram só crianças, nas operações da vida a coisa é simples. Quando temos muito e nos preocupamos com o próximo para que nada falte a ele, aprendemos que existe a palavra repartir, assim cada parte desse pão também se multiplicou e deu pra dar a cada um o pedaço que eu tanto queria que eles ganhassem,
É sobre isso, o nosso evangelho de hoje. Jesus nos ensina a repartir, ensina a gente o grande milagre da multiplicação.
Vamos então iniciar nossa celebração multiplicando nossas alegrias e repartindo com o senhor o nosso canto.

Ato penitencial –
( Usar desenhos )
È, crianças, hoje o evangelho nos fará pensar muito sobre nossas atitudes enquanto cristãos que somos, enquanto seguidores de Jesus que somos.
Aprendemos quase todos os dias que devemos ser generosos, devemos aprender a dividir o que temos, mas será que isso acontece fora do que aprendemos? Será que realmente repartimos com outros aquilo que temos?Ou será que somos egoístas demais e queremos só pra nós?
Será que tem criança ai, que ainda não aprendeu a dividir? Será que tem adulto ai, que conhece bem o caminho do comprar, mas desconhece o caminho do dar?
Será que tem gente que diante de tanto que Deus o presenteou, não se esqueceu de também repartir, ou vive no bem bom, enquanto os outros é que se danem?
Será que tem gente que ainda não entendeu o grande milagre da multiplicação que é: dar, repartir, distribuir, mesmo que não sejam só bens materiais, mas palavras de conforto, de alento, orações, ensinamentos aos filhos, catequizar aqueles que desconhecem a presença amorosa de Jesus, levar a boa nova a todos?
Bom, deve estar cheinho de gente assim, porque senão nosso mundo não estaria tão pobre, com tanta gente passando fome, com tanta gente desconhecendo o que é o amor.
Então, crianças, pelas muitas vezes em que não trabalhamos pra que a multiplicação dos bens de Deus chegue a todos, pelos nossos erros de omissão, vamos pedir perdão cantando.

LEITURA Agora crianças, todas sentadinhas, vamos ouvir uma bonita leitura para aprendermos ainda mais o que Deus nos propõe para hoje. Vamos ouvir com atenção?

Aclamação - Agora ouviremos, na narração do evangelho, Jesus fazer o grande milagre da multiplicação saciando a fome de tantas pessoas. Nós também, crianças, podemos fazer esse milagre acontecer na vida de nossos irmãos, a partir do momento, em que também aprendermos a dividir com eles o que temos. Mas antes de ouvir o grande mestre, vamos todos ficar em pé e cantar com muita alegria o canto de aclamação –.

Evangelho – história do lobo bom e dos 3 porquinhos.

Preces – escolher duas crianças

1. PARA QUE a Igreja, vivendo a eucaristia, incentive a humanidade à partilha da vida e dos bens, a partir de seu próprio testemunho de partilha e compromisso com a vida, rezemos ao Senhor nosso Deus.

— Saciai, Senhor, nossa fome de paz e de justiça!

2. PARA QUE, superando o espírito de egoísmo, a humanidade cresça na partilha do progresso e da economia, contribuindo para o fim da discriminação social e cultural, rezemos ao Senhor nosso Deus.

3. PARA QUE a paz desejada por todos signifique a superação da fome, da violência e da injustiça e seja uma busca comum de todos os povos, rezemos ao Senhor nosso Deus.

4. PARA QUE todas nós, crianças, encontremos nos valores do Reino o sentido para nossas vidas e possamos também nos comprometer na construção de um mundo novo, fecundado no respeito e no amor, rezemos ao Senhor nosso Deus.


Ofertório – ( Arrumar cestos com pães que, depois de bentos, sejam passados de pessoa a pessoa, onde cada uma tire um pedaço, imitando o gesto de partilha ).
Se hoje aprendemos tanto sobre multiplicação, se hoje ouvimos tanto que o milagre acontece quando a gente o faz acontecer dentro de cada uma de nós, no nosso momento de ofertório precisamos nos fazer especiais.
Trouxemos, aqui, diante do altar do Senhor, os mesmos pães do grande milagre e vamos pedir ao padre que os abençoe como o fez Jesus e que, esses pães, sejam símbolos do quanto ainda vamos dividir com nossos irmãos, dando-lhes uma vida mais digna, mais justa, mais fraterna (padre ergue o cesto).
Também somos a mesma multidão sedenta e faminta por Deus, por isso, oferecemos o nosso coração, um coração que é possuidor de uma grande riqueza que é o amor e um coração assim, tem que saber dividir com os irmãos e multiplicar em sua vida as graças recebidas de Deus.
Que junto ao pão e ao vinho, o senhor nos conceda sempre a graça de termos muito, para que muito possamos dividir. Vamos então com alegria cantar, enquanto dividimos entre nós, o pão do grande milagre da multiplicação.

Comunhão – Que alegria receber agora o grande pão da vida eterna!! Jesus se fez um pãozinho, em forma da hóstia para que pudéssemos Dele nos alimentar e nos lembrar de seus exemplos, seguindo sempre seus passos. Com alegria de quem vai a grande festa da multiplicação, vamos todos recebê-lo cantando.

Ação de graças – Existe um santo, tenho certeza que vocês conhecem crianças, que se chama São Francisco de Assis. Ele é protetor dos animais e protege também o coração do homem. Ele fez inúmeras coisas maravilhosas para santificar Jesus, mas ele marcou à nossa vida pela oração.
Rezava uma oração que se tornou hino, onde todos nós conhecemos.
Uma oração muito linda, que a gente devia rezar todas as noites que é a Oração de São Francisco.
Vamos todos então, em vez de rezar, cantar bem bonito para aprendermos a viver cada palavra que ele nos ensina? Então vamos todos cantar.

Cantar a oração de São Francisco

Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz.
Onde houver ódio, que eu leve o amor;
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;
Onde houver discórdia, que eu leve a união;
Onde houver dúvida, que eu leve a fé;
Onde houver erro, que eu leve a verdade;
Onde houver desespero, que eu leve a esperança;
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;
Onde houver trevas, que eu leve a luz.
Ó Mestre, Fazei que eu procure mais
Consolar, que ser consolado;
compreender, que ser compreendido;
amar, que ser amado.
Pois, é dando que se recebe,
é perdoando que se é perdoado,
e é morrendo que se vive para a vida eterna.

Ou pode-se usar essa ação de graças:

Ação de graças – Que bom, crianças, que hoje vocês aqui vieram. Com Jesus aprendemos a multiplicar e a repartir.
Dessa forma, multiplicamos tantos conhecimentos sobre Ele e ainda aprendemos a somar na nossa vida as atitudes que Ele mesmo o fez. Jesus está sempre somando coisas muitas boas em nossa vida, não é mesmo?
Sabem que agora me lembrei i de uma historinha muito pequena, porém expressiva que nos fala da nossa condição de acreditar ou não?! Vamos ouvi-la com atenção, pois Deus tem uma mensagem forte de milagre em nossa vida.


"A Aranha"


Uma vez um homem estava sendo perseguido por vários malfeitores que queriam matá-lo.
O homem, correndo, virou em um atalho que saía da estrada e entrava pelo meio do mato e, no desespero, elevou uma oração a Deus da seguinte
maneira:
__Deus Todo Poderoso fazei com que dois anjos venham do céu e tapem a entrada da trilha para que os bandidos não me matem!!!
Nesse momento escutou que os homens se aproximavam da trilha onde ele se escondia e viu que na entrada da trilha apareceu uma minúscula aranha.
A aranha começou a tecer uma teia na entrada da trilha.
O homem se pôs a fazer outra oração cada vez mais angustiado:
Senhor, eu vos pedi anjos, não uma aranha.
Senhor, por favor, com tua mão poderosa coloca um muro forte na entrada desta trilha, para que os homens não possam entrar e me matar...
Então ele abriu os olhos esperando ver um muro tapando a entrada e viu apenas a aranha tecendo a teia.
Os malfeitores estavam entrando na trilha, na qual ele se encontrava, e ele estava esperando apenas a morte.
Quando passaram em frente da trilha o homem escutou:
- Vamos, entremos nesta trilha.
O outro disse:
__Não, não está vendo que tem até teia de aranha? Nada entrou por aqui. Continuemos procurando nas próximas trilhas.

Fé é crer no que não se vê, é perseverar diante do impossível.
Às vezes pedimos muros para estarmos seguros,
Mas Deus pede que tenhamos confiança nele para deixar que Sua Glória se manifeste e faça algo como uma teia, que nos dá à mesma proteção de uma muralha.
Nunca desanime em meio às lutas, siga em frente, pois Deus disse:
"Diga ao fraco que Eu sou forte".

São nos momentos mais difíceis que encontramos em Deus a nossa força.

 
Jesus e as crianças
Toda semana você encontra aqui teatrinhos e historinhas que auxiliam na compreensão da Santa Missa.
Você utiliza as historinhas na missa? Adiante a preparação da missa adquirindo os livros dos 3 anos litúrgicos: A - B e C.

São no total 168 historinhas por apenas: R$ 35,00 e FRETE GRÁTIS (o kit com os 3 livros).

Caso tenha interesse nesses livros clique aqui para conhecer melhor.
Historinha da semana:
O lobo bom e dos 3 porquinhos.


( Encenação . Fazer as casinhas de papel de forma que elas fiquem somente no rosto dos porquinhos e eles a segurem pelo pauzinho .)

Quem não já ouviu contar a história dos três porquinhos e do lobo mau?
Ah... ! Todo mundo conhece, mas será que vocês conhecem a história do lobo bom e os três porquinhos?
Ah, essa é difícil de vocês conhecerem.
Era uma vez três porquinhos... Um se chamava Pão duro.. O outro Miserável e o outro Multiplicação.
O Pão Duro, o Miserável e o Multiplicação estudavam na escola do professor Lobo Bom, essa era bom mesmo viu, crianças, (não era mau igual o outro não) O lobo que era bom sempre ensinava nas suas aulas:
--- Porquinhos, porquinhos, vocês já não são famosos pelo cheiro, façam de tudo para serem agradáveis então pelo coração. Sejam generosos e façam de tudo para servir aos irmãos.
O gordinho Miserável odiava ir às aulas, pois gastava sapato e só ficava pensando num jeito de esconder sua merenda para que ninguém dele pudesse tomar.
O gordinho Pão Duro, este era um horror, não abria a mão pra não dar tchau, não sorria pra não gastar o lustre dos dentes e nem falava para não ter que gastar com fonoaudiólogo.
Já o gordinho Multiplicação era só felicidade, o que era dele era dos outros. "Êta" gordinho "bão"... Não tinha nada que ele não repartisse.
O mestre Lobo bom sempre ensinava a eles que deveriam ser bons e partilhar tudo que tinham, mas somente o Multiplicativo parecia entender a lição do mestre.
Um dia, o mestre resolveu se disfarçar de um lobo meio esquisito e visitar os três porquinhos pra ver se eles estavam seguindo todos os seus ensinamentos.
Os porquinhos ficaram sabendo, através dos bichos da floresta, que estava andando por lá um lobo muito estranho, então cada qual correu para sua casinha e ficou lá esperando o lobo ir embora.
(Canto do porquinho)
Miserável - Quem tem medo de lobo mau... de lobo mau... Quem tem medo de lobo mau, não sabe como ele fica bem num mingau...
Que medo de lobo mau o quê.. Eu vou é matar esse lobo e vender as carnes dele.. Assim eu fico ainda mais rico...
Naquele momento, ouve-se um bater na porta.
Miserável - Quem é que se atreve a gastar a madeira da minha porta?
Mestre - Sou eu.. Um pobre coitado, morto de fome.
Miserável - E eu com isso? Por acaso aqui tem cara de igreja? E essa voz que lhe fala é a do padre? Então, seu passa fome, vai procurar quem te quer porque aqui tudo já tem dono.
O mestre ficou muito decepcionado com o gordinho Miserável e neste momento ele ficou bravo
Mestre - Ô, seu mal agradecido, abre aqui que é o mestre...
Miserável - Eu não abro não.. Vou ficar aqui quietinho que pra não perder nenhum tostão.
Então o lobo ficou muito bravo com a atitude do miserável que nada tinha aprendido com suas lições e deu o último ultimato
Mestre - Ou você abre e me ouve, ou...
Miserável - Oooouuuuuuuuu, ou o quê? Pode embora, seu lobão. Eu tô desconfiado que o senhor seja o mesmo lobo mau que aterrorizava no passado meus antepassados, os primos porcos. Mas a coisa mudou, meu filho!!!E os materiais da minha casa não são mais de palha não... São tudo agora vindo direto do Paraguai e, se é do Paraguai, pode soprar que num cai.
Neste momento, o lobo ficou tão bravo que juntou ar, juntou ar e sobrou bem forte.
A casinha do Miserável, que sendo do Paraguai era falsa, voou pelos ares.
Miserável saiu às carreiras, gritando feito louco:
Miserável - Perdi tudo, agora além de miserável, sou um porco pobre, sem nada. Eu quero morrer, vou me suicidar ahhhhhhh... (Chora e fica abrindo a boca com as mãos como se quisesse se matar )
Procurou abrigo na casa de Pão Duro, que vendo o porco correndo em direção da sua casa foi logo fechando as portas e janelas (placa na janela-fechada pra balanço).
Miserável - Abre priminho, do meu coração, o lobo bom que era mau, agora que ficou bom, tornou-se mal e quer me pegar porque eu nada a ele quis dar.
Pão Duro - Você vem recorrer a mim que nada tenho?
Miserável - Deixa de ser Pão Duro... Que eu te conheço... Eu sei que você tem muito, mas não gosta de dividir, deixa de ser traquina.
Pão - Olha só quem está falando, quem não sabe o que é dividir. Vê se você se enxerga ô miserável.
Miserável – Vamos parar que esse trololó e me deixa entrar... Que ele está vindo ai..
Pão - Aqui não, aqui é muito apertado, aqui num cabe.. Assim não dá.. Assim num tem jeito
Miserável - Cala a boca e me deixa entrar seuuuuu...
(neste momento o lobo aparece, meio confuso e louco da vida e, quando o Miserável o vê, pula a janela do outro e fica de dentro, os dois brigam de unhas e o lobo interrompe).
Mestre - Pão duro, meu filho, é o mestre lobinho. Vem aqui pra gente ter um dedinho de prosa...
Pão - dedinho? Nem que ocê quisesse uma unhinha de prosa. De jeito nenhuma. De forma alguma, de maneira de jeito.. Num tô podendo
Mestre - Como assim, eu preciso de um copinho d"água".
Pão - Mas aqui em casa não tem copo que é supérfluo.. Quando estou com sede eu engulo o cuspe. É bão.. Caba logo com a sede. Experimenta!!???
Mestre - Num me tira do sério, Seu porco de meia tigela, abre essa porta senãooooooooo???
Pão- Senãooooooooo, não o quê!!! Quem o senhor está achando que é pra derrubar a casa dos outros? Por acaso sabe quanto custou? Num sabe, por isso fica ai querendo tirar dos outros aquilo que eles têm.
Mestre - Não é isso, meu filho. Eu só quero ver até onde vocês aprenderam à lição.. Que devem ser bons e repartir com os outros aquilo que tem
Pão- Muito bem ,Mestre. Agora o senhor está falando a minha língua... E o que o senhor trouxe para mim?
Mestre – Como assim?
Pão - Uai, não foi o senhor mesmo que disse que tem que repartir? Então pode começar...
Mestre - Não me tira do sério porque você sabe que tudo que é meu... É de vocês também... Então abra essa porta, antes que eu...
Pão - Espera lá!! Alto lá... Aqui ninguém tasca... Não vem com esse soprinho porque eu já tô ficando cheio disso.
Mestre - Ah é... Então é um... É dois...
Miserável - Nós estamos frito primo. Acho melhor a gente começar a correr
Mestre - E é três...... (ele soprou e a casa voou)
Eles saíram apavorados e foram para a casa do Multiplicação. Que amassava uns pães na porta e feliz da vida recebeu os primos...
Multiplicação - Sejam bem vindos primos. Vamos entrar e tomar um café. A casa é de vocês...
Miserável - Que isso, primo, assim nós fica tão de dentro que" achamos que vamos" passar um bom tempo por aqui... né , Pão Duro ?!
Multiplicação - Fiquem à vontade, todos que vierem a mim serão sempre muito bem-vindos.
Mais tarde, depois que eles contaram à Multiplicação tudo que ocorrera. Multiplicação por sua vez, fez os primos enxergarem o quanto estavam errados. Nisso chegou o Mestre.
Multiplicação – Mestre!!! Seja bem vindo a minha casa. O senhor está servido? Toma um chá? Come um pão?
Mestre - Muito obrigado, Multiplicação. Fico muito feliz por saber que pelo menos um de vocês aprendeu algo de bom
Multiplicação - Ora, não fique triste, Mestre, às vezes é preciso que a gente veja o bem no outro pra gente aprender a também ser bom..
Pão - Então é, por isso que você tem tanto?É porque você reparte?
Miserável – Então, é, por isso que você é muito mais feliz?
Multiplicação - Claro tudo que eu tenho eu aprendi a repartir e repartindo sempre procurei por mais, sendo assim, com a graça de Deus tenho muito, multiplico as graças de Deus e posso reparti-las com os outros também.
Mestre - Fico feliz, meu filho e acho que muito ainda tenho a ensinar para que outros aprendam que é só na partilha que as coisas se multiplicam.
(continuam no chão sentados e a comentarista interroga)

Crianças, que exemplo nós devemos seguir?

Isso mesmo, do gordinho Multiplicação, ele foi bom e tudo ele soube repartir, por isso nada falta a ele, assim também é conosco. Se soubermos ser bons, soubermos dividir com os irmãos,jamais nos faltará coisa alguma e Deus multiplicará graças em nossas vidas .

 
 
Fonte de pesquisa (preces e leituras) - www.homilia.com.br

 
 
xm732